VOCÊ DECIDE "LEAN" EPISÓDIO I - O DIRETOR HULK

Neste longa jornada de LEAN, pensamos que vimos de tudo, ou quase tudo. Emoções de todos os tipos não faltaram.

Algumas delas, brotaram como extremamente contraditórias e como ninguém pode se julgar dono da verdade, resolvemos compartilhar algumas situações para que vocês pudessem se imaginar protagonistas da estória e tomar uma decisão. Não se preocupem com que rumo tomar....relaxe...e divirta-se afinal.....VOCÊ DECIDE !!! e o certo e errado são questionáveis.

Vamos lá então para nosso primeiro episódio...

ERA UMA VEZ... um diretor de alto escalão, que vendo a crise se aproximar e seus produtos entrarem em um segmento altamente competitivo, já não tinha a menor dúvida. Algo diferente teria que ser feito para mudar aquele panorama. Aparece a moda do “LEAN”, e este assim como fazem os aflitos quando o se apegam à religião, o LEAN passa a ser a tábua de salvação da empresa. Reuniões e reuniões são realizadas, apresentações calorosas sempre rolavam em cascata, ou seja, diretores treinando gerentes, estes os supervisores e finalmente o chão de fábrica. Um novo espírito toma conta da fábrica, todos rezando na mesma cartilha....e mais, quanto maior o nível hierárquico, maior o conhecimento e o nível de comprometimento......e o diretor... “o grande exemplo a ser seguido “.

Além de “encarar” SEGURANÇA como algo absolutamente muito sério e inegociável, QUALIDADE era tratada com toda pompa e como jamais visto nos padrões antigos. O lema da qualidade “NÃO ACEITE, NÃO PRODUZA E NÃO ENVIE DEFEITOS” era diariamente discursado em todas as reuniões. Todos os colaboradores eram incentivados a parar a linha em nome da qualidade , pois o defeito não podia passar para a estação seguinte. Componentes faltantes, ou mais precisamente aqueles que afetariam a qualidade do produto final, jamais poderiam ser colocados posteriormente. Isto implicaria em retrabalhos questionáveis e sem trabalho padronizado e que fatalmente resultariam em uma produto final inferior comparado ao montado certo da primeira vez.

Estava claro para todos que fazer isto já se tratava de um crime inafiançável e ninguém ousaria faze-lo sob pena de ser reconhecido como o traidor do sistema.

A empresa ganha uma nova cara, seu produto principal passa a ser sonho de consumo e a demanda cresce assustadoramente. Todos os esforços comovem o time para subir a velocidade de linha, trabalhar aos fins-de-semana e comemorar recorde de vendas.

Chega o dia da visita à fábrica do diretor...aquele mesmo do início da estória...e por aquelas coincidências que o destino mal consegue explicar, um com

ponente vital não chega à tempo da montagem. A linha é parada em nome da qualidade. O sorridente diretor ao entrar na fábrica, depara-se com a linha parada. Transtornado pergunta ao gerente o porquê daquela situação. Com orgulho o gerente explica que o componente atrasou e montá-lo posteriormente comprometeria a qualidade então tomou a decisão de parar a fábrica.

O diretor, feito HULK, ordena que a linha se mova imediatamente, pergunta se alguém sabe quanto custa uma fábrica parada, e vai além...afirma que cada produto perdido naquele dia seria comemorado pela concorrência e que o componente poderia ser muito bem montado no final da linha “COM MUITO CUIDADO”!.....e assim foi feito como o “chefe mandou !”

Agora chegou a sua vez....reflita, imagine-se nesta situação, considere tudo que você aprendeu até hoje de LEAN, lembre-se que não estamos em TÓKIO, e fique livre para opinar. Não somos ninguém para julgar seu comentário, apenas queremos ouvi-lo afinal......VOCÊ DECIDE ! ! ! !

Pense nisso ! Boa semana.


Posts Recentes

Since - 10.09.2016