Jidoka - Um dos pilares da Toyota


JIDOKA - Way Lean Negócios - consultoria e treinamentos

Jidoka significa automação com um toque humano e é um dos pilares do Sistema Toyota de Produção.

O Conceito de JIKODA, vem da implementação do sr. Toyoda Sakichi em seus teares em 1890 chamados de teares auto - ativados.

Nestes teares foram adicionados sensores, que auxiliavam na detecção de falhas.

Quando detectavam uma falha ou problema, os sensores alertariam, para que o problema fosse detectado de forma rápida e já poderiam ser reparados. Isso possibilitou que as paradas de linha fossem pequenas.

Um sistema bem montado com sensores poderia possibilitar até mesmo que vários teares pudessem ser gerenciados por um único homem.

A ideia é que o problema são "saia de controle", e não seja repassado para a próxima operação.

Ferramentas como Help chain, poka yoke e Andon sejam utilizados para que um defeito não passe para o posto seguinte.

A Cadeia de Ajuda é fundamental para que o problema possa ser resolvido. O Escalonamento do problema é fundamental para conseguir solucionar o problema de forma rápida.

Para o JIDOKA funcionar bem, devemos primeiro fazer um levantamento utilizando a metodologia do TOC (Teoria das Restrições) com isso você , se descobrirá qual é o gargalo de sua produção, assim neste ponto você aplica a automação.

Segundo Gilnei Lafuente - Membro do nosso grupo de assuntos Lean e consultor de Caxias do Sul.

"Eu gosto muito de olhar o Jidoka pela visão da necessidade de aumentar a produtividade. Quando Ohno foi incumbido de alcançar os patamares de desempenho da indústria automobilística norte-americana, deu-se conta de que não poderia aumentar a quantidade produzida por homem (mercado japonês era limitado), mas sim, precisaria reduzir o número de funcionários para atingir a eficiência desejada. Para isso, seria necessário um trabalhador operando várias máquinas ao mesmo tempo. O problema residia na necessidade de preparar as máquinas da Toyota para que parassem automaticamente quando a operação terminava ou, quando ocorria uma falha. A solução era adotar o conceito do Jidoka - autonomação - criado na têxtil Toyota: máquinas dotadas de inteligência e toque humano. A ideia de parar o processo, quando alguma anormalidade é detectada, tem origem na adoção do Jidoka nas linhas de montagem. Tudo o que conhecemos ou ouvimos falar (autonomia para parar processos, Andon, Poka Yoke, TWI, controle da qualidade zero defeitos,...) surgiram como necessidade de atingir a plenitude do pilar Jidoka".

Segundo Hudson Costa Batista Brisola - Membro do nosso grupo de assuntos Lean e consultor do Senai de Sorocaba.

"Certa vez ouvi o termo zero defeitos para a definição de Jidoka. Isso me soou de maneira estranha na cabeça por muito tempo.

Quando Taiichi Ohno estava estudando o processo da Toyota, percebeu que quando uma peça defeituosa chegava a um operador, ele a retrabalhava para que ficasse boa novamente. O mundo trabalhava dessa maneira (consertando e escondendo os defeitos), afinal, convenhamos, é um bom jeito de não permitir que seu chefe venha de mau humor verificar o que está acontecendo.

Existem três maneiras de se avaliar a qualidade de um processo: por reclamações de clientes; por uma inspeção final; ou entre cada etapa.

Ohno colocou entre cada estação de trabalho uma caixa vermelha. Quando o operador recebia uma peça que ele considerava ruim, simplesmente a colocava nessa caixa e não tentava consertá-la. A regra era: você não deve aceitar, nem gerar, nem repassar defeitos. Dessa forma, quando acontecia um defeito, a linha parava até que fosse definida a contramedida para a anomalia. Isso permitiu que o defeito fosse estudado enquanto suas causas ainda estavam evidentes, não dias depois em que ninguém lembrava de mais nada.

Diminuir o retrabalho, além de reduzir custos, também eleva o ânimo e a confiança da equipe nas lideranças, pois não existe ser humano que goste de fazer algo "de novo". Podemos, por isso, dizer que jidoka tem a ver também com respeito pelas pessoas, que significa respeito pelo trabalho das pessoas.

Sobre aquela história do zero defeitos, é um termo que confunde bastante porque na verdade significa tolerância zero a defeitos."

Agradecimentos ao grupo de Whatsapp de assuntos Lean que colaborou com os debates sobre o tema " JIDOKA"

Foto: http://marcelviana.com/jidoka


Posts Recentes